REDAÇÃO

Encare a escrita como um ato mecânico que qualquer indivíduo vai poder realizar. Você nasceu apto para escrever como para andar e falar. Deixe-me repetir: não encare a página em branco com sentimentos nem positivos nem negativos.

Não estou pedindo a você que não sinta nada quando escreve, mas estou dizendo que sentir alguma coisa não é prerrogativa para escrever, redação pelo menos. Fique com a verdade de Cecília Meireles: escrevo porque escrevo. Não porque estou alegre ou estou triste e sim porque sei escrever. A escrita não é, de modo mais claro possível, um ato sentimental. Se você não for capaz de entender isso, esqueça a possibilidade de poder escrever em tempo hábil uma boa redação na prova do vestibular porque não será um momento em que seus sentimentos serão os melhores e mais propensos à escrita.

 Os que estudam e estudaram comigo sabem que a escrita exige recursos para a sua genuína construção. Aqui vou denominar você de construtor e vou considerar seu texto como uma casa. Para construí-la é necessário ter um projeto dela. Afinal, as melhores casas não nascem de um puxadinho ou de um cômodo pronto e os outros feitos depois, senão haverá tamanhos diferentes, surpresas ao longo do processo e uma finalização bem longe do planejado. Casa é casa como redação é redação, mas se percebe quando se entra em um texto o qual foi feito com rascunhos loucos ou em uma casa a qual foi definitivamente planejada.